segunda-feira, 27 de março de 2017

Cabo Verde, Ilha do Sal – Parte V - Ilha

Já sabíamos de antemão que a ilha do Sal pouco tinha para ver, para além da praia. De qualquer forma, agendamos uma excursão à ilha com a Barracuda Tours, com a duração de meio-dia, com almoço incluído.
Saímos de manhã bem cedo do resort onde uma carrinha com o guia, o motorista e um fotógrafo nos aguardavam. Seguimos para outros resorts para recolher mais viajantes para realizar a excursão.


Partindo de Santa Maria, a primeira paragem foi na Praia da Murdeira, que segundo o guia é a zona “rica” da ilha e de onde se avista o Monte Leão.



Seguimos em direcção ao Porto de Palmeira onde pudemos apreciar a actividade piscatória.





O próximo destino é talvez a maior atracção turística da ilha: a Buracona, também chamado de olho azul. Nada mais é do que um buraco rochoso profundo onde pelo meio-dia o sol entra e dá uma tonalidade azul à agua do mar. Infelizmente nesse dia o sol não espreitou e não conseguimos ver este efeito.




De seguida fomos até Terra Boa, onde apenas existe terra batida e onde surgem ondas de calor, fenómeno a que chamam de “miragem”.



Paramos na Baía da Parda para avistar tubarões e, os mais corajosos, tiveram a oportunidade de entrar na água com o guia e aproximar-se dos tubarões.




A minha maior expectativa nesta excursão eram as Salinas de Pedra do Lume, onde podemos tomar banho e desfrutar da sensação de flutua devido ao nível de sal presente na água, tal como no Mar Morto.





Depois de um rápido banho para tirar o sal do corpo, seguimos para Espargos, a capital da ilha do Sal, onde almoçamos no típico restaurante Caldera Preta, a famosa cachupa e peixe espadarte. 




E para terminar a excursão, fomos até ao alto da torre de controlo da ASA - Aeroportos e Segurança Aérea de Cabo Verde, de onde temos uma magnífica vista panorâmica de toda a ilha do Sal.








sábado, 28 de janeiro de 2017

Cabo Verde, Ilha do Sal – Parte IV - Resort

Todos os dias de manhã, depois do pequeno-almoço, íamos para a praia até à hora de almoço. Como já referi no post anterior, a praia de Santa Maria é pública e para lá chegar apenas tínhamos de sair do resort e atravessar a estrada (de terra batida).



Já na praia, existe o Morna Beach Club que pertence ao resort e onde podemos também comer e beber consoante o regime que escolhermos.



Junto ao Morna Beach Club existem diversas actividades promovidas pelo pessoal de animação do resort, seja dança, futebol, voleibol, etc.




Depois do almoço, o Tomás ia para o quarto com o papá (que dispensa a hora do calor) dormir a sesta. Eu e os meus sogros ficávamos pela piscina a aproveitar o sol, onde também existiam actividades como a hidroginástica. Para além da piscina grande com bar, existe também a piscina das crianças e um jacuzzi.










Ao fim do dia e antes do jantar, saiamos do resort para conhecer um pouco da vila de Santa Maria. Se saíssemos pelas traseiras do resort, que dá acesso à praia, podíamos percorrer a marginal onde se encontram vários vendedores, a maioria senegaleses. 


Na praia podíamos ver o povo de Cabo Verde reunido ao fim do dia, alguns miúdos ainda com a mochila da escola às costas.





De regresso ao resort, durante o jantar havia sempre animação no palco em frente ao restaurante buffet. O pessoal de animação do resort realizava espectáculos temáticos, diferentes todos os dias.










E já depois do jantar, íamos até ao Morna Beach Club onde a animação continuava com musica ao vivo ou karaoke ou até com espectáculos improvisados.





 
footer